27 de nov de 2012

Territórios Informais Inteligentes: Heliópolis Seminário Aberto





O objetivo do projeto é desenvolver novos instrumentos de comunicação e co-criação de soluções em design, arquitetura e urbanismo nos territórios informais junto à comunidade local e a partir de sua rica dinâmica: práticas criativas, iniciativas "botton-up", externalidades espaciais positivas.


Ele nasceu em fevereiro de 2011 após uma imersão em Heliópolis minha, do professor urbanista Brian MacGrath da Parsons School for Design de Nova Iorque e do Paulinho, da ONG CEDECA/CASADEZ de Heliópolis, com quem convivo há alguns anos nas minhas incursões à Heliópolis. Eu e Brian saímos daquela visita com a ideia de iniciar um projeto que atendesse ao desafio de desmitificar o chamado da Bienal de Arquitetura de Roterdã do ano passado das "Smart Cities": estabelecemos então a ideia de "Smart Inform
al Cities". Desenvolver formas alternativas, "low cost", mais acessíveis, de tecnologia da informação e comunicação aplicadas ao território informal para mapear e externalizar práticas criativas.


Logo em seguida, além da FAU Mackenzie e Parsons, a parceria incluiu a Academia de Artes, Arquitetura e Urbanismo de Amsterdã e a HABI/SEHAB, com apoio importante da Superintendente Elisabete França.


O projeto acabou sendo exposto na Bienal com boa repercussão e tem sido publicado aqui e em Nova Iorque e Amsterdã, onde o mostramos em importantes eventos.


Realizamos dois intensos workshops em Heliópolis e no Mackenzie nestes dois anos e aumentamos nossas parcerias: alunos da FAU Mackenzie da graduação e da Pós; alunos de Heliópolis do curso de responsabilidade social da UNAS-SENAC; ETEC-Heliópolis; Centro de Convivência e UNAS-Heliópolis; ArchLink; Universidade Católica de Leuven e Jeff Anderson/Biourban Ocupação Criativa; Natalia Garcia/CidadeParaPessoas; Marcos Rosa/Microplanning; Reinaldo Bulgarelli/FGV. A agência de inovação Mandalah é parceira desde o início.


Nosso foco não é habitação social - apesar dela estar sempre presente com suas fortes urgências - mas antes a impressionante força da urbanidade que se encontra em territórios como Heliópolis, com um contagiante senso de comunidade que a cidade formal vêm perdendo, infelizmente. A crescente pujança de iniciativas que emergem deste território e seus atores apaixonados e as oportunidades de novas formas de urbanismo e urbanidade tem sido nossas inspirações: inclusão sócio-territorial, cidade criativa, inovação informal. Acreditamos que as megacidades do seculo 21 serão reinventadas pela força dos territórios informais como Heliópolis. 

info: carlos@stuchileite.com